Trabalho Interdisciplinar: uma nova maneira de ensinar.

Categorias: Educação
Tags: , , , , , , ,
Escrito por:

Resumo: O presente artigo objetiva abordar e elucidar a grande importância do trabalho interdisciplinar nas escolas (públicas ou privadas) como recurso alternativo de ensino-aprendizagem. O trabalho interdisciplinar procura em sua essência nos mostrar a importância de atividades que visem uma integração de todas as disciplinas do currículo comum, bem como uma integração dos professores e alunos para sua realização. Pensando desta forma o grande objetivo do mesmo é trabalhar os conteúdos exigidos de em sala de aula de uma nova maneira, o ponto de chamar a atenção dos alunos a partir de aulas mais dinâmicas e interativas. Seguindo esta mesma lógica de pensamento poderemos trabalhar a interdisciplinaridade a partir de projetos inovadores de temas atuais, tal como segue o exemplo a baixo de um projeto sobre a Gripe Suína (Influenza H1N1) onde todas a disciplinas terão sua contribuição para sua concretude.

Trabalho Interdisciplinar: uma nova maneira de ensinar.

Nós professores e a cima de tudo educadores não podemos mais negar a importância de trabalhos e projetos que visem trabalhar a interdisciplinaridade em sala de aula. Em virtude e decorrência das grandes transformações presenciadas e vivenciadas por todos nós neste mundo cada vez mais globalizado e dinâmico, nós docentes temos a necessidade de acompanhar tais mudanças e adequarmos nossos trabalhos e atividades em sala de aula, é de suma importância ainda uma visão critica sobre as formas de ensino-aprendizado utilizadas por todos nós, tal cuidado se faz necessário para que as aulas ministradas sejam cada vez mais atrativas e despertem a atenção dos alunos, ajudando e contribuindo se não minimizando uns dos problemas atuais da educação brasileira que é a evasão escolar.


Trabalhar em conjunto com os demais mestres e professores de todas as disciplinas que compõe o núcleo comum de conteúdos pode ser uma saída positiva (trabalho interdisciplinar). Trabalhando com profissionalismo, ética conseguiremos a partir do comprometimento de um todo (professores, pedagogos e alunos) alcançar objetivos antes nunca explorados. Em suma poderemos lidar e trabalhar a interdisciplinaridade em sala de aula a partir de projetos inovadores que visem à integração e comunicação de ambos os conteúdos que serão repassados aos alunos o que, todavia principalmente vai possibilitar um diálogo maior entre o corpo docente, supervisão pedagógica e alunos.


O exemplo do projeto interdisciplinar sobre a Influenza A “a gripe suína” mostrado ao final deste artigo nos dá a clara visão da importância deste tipo de iniciativa, e conseqüentemente a importância de se começar de fato a trabalhar com o mesmo, a fim de propor junto aos nossos alunos cada vez mais este tipo de projeto, que em suma objetiva uma melhor interação entre conteúdos antes taxados como distintos e individuais, uma melhor relação entre professores das diversas áreas do conhecimento e por fim uma melhora significativa de assimilação dos conteúdos por parte dos alunos, público alvo do projeto. Com tudo, temos que ter em mente, que todas as disciplinas andam de mãos dadas, pois uma necessita da outra para o seu desenvolvimento.


Desta forma podemos citar como exemplo a grande dificuldade dos nossos alunos ao lidarem com os problemas matemáticos, questões mais complexas de interpretação de história, geografia, filosofia etc… Pois percebemos que os mesmos sabem ler os enunciados, mas falta saber principalmente interpretá-los, e isso eles só vão aprender com o auxilio do professor de português onde o mesmo deve pontuar com freqüência em suas aulas e atividades de classe o incentivo a interpretação de textos em geral, seja do próprio livro didático ou por ele sugerido tais como noticias e artigos de jornais e revistas ou obras literárias.

Seguindo esta mesma lógica de raciocínio, podemos citar a matéria de Biologia, pois rever o conteúdo de genética estudado no ensino médio podemos verificar novamente a necessidade de conhecimentos prévios de outra matéria, neste caso o auxilio da matemática, referente aos cálculos a serem utilizados nas tabelas que necessitam dados de porcentagens e de probabilidades; e também da Geografia para elaboração de mapas, gráficos, tabelas, escalas, sistemas de medidas, onde tais conhecimentos são a base para se compreender e interpretar os mesmos gráficos, tabelas, etc.
Diante de tudo nós professores não podemos nos sujeitar, ver e entender nossa disciplina como única, pois processo ensino-aprendizagem não pode e nem deve ser fragmentado como se cada disciplina fosse única e individual, o processo a qual nós tanto referimos ao longo do texto defendendo o uso da interdisciplinaridade no ambiente escolar necessita de comprometimento de um todo para sua realização, precisamos abrir nossas mentes para novo, pois assim teremos de volta em nossas escolas alunos motivados e conseqüentemente mais interessados nas aulas.

Projeto Interdisciplinar sobre a Influenza A “Gripe Suína”

Cada sala ou toda ela mediante a supervisão direta de um professor ficaria responsável por pesquisar e apresentar o resultado das pesquisas e estudos realizados sobre a “Gripe Suína”. Desta forma mediante ajuda da supervisão pedagógica da escola seria feita uma feira para a exposição dos trabalhos realizados por todos. A feira ainda poderia ser aberta a toda comunidade, pois alem de muito atrativa, a mesma ira contribuir com informações importantes sobre o vírus H1N1, formas de higiene, sua transmissão e etc…

Várias disciplinas poderiam integrar esse trabalho e contribuir para o desenvolvimento do mesmo, veja abaixo as contribuições de cada disciplina:

Língua Portuguesa: Produção textual sobre a doença, cartazes, crítica, dissertação, confecção de relatórios, correção ortográfica.

Matemática e Física: Levantamento de dados, pesquisas, incidência (casos suspeitos, confirmados e mortes) em percentual da doença nas regiões da (cidade, estado ou país), gráficos e tabelas demonstrando esses números.

História: Contexto histórico da doença, quando e onde surgiu?

Geografia: Elaboração de mapas com legendas indicando os principais focos da doença na (cidade, estado ou país).

Artes: O desenho do vírus, maquetes, formas várias de ilustração e produção de peças teatrais.

Inglês: Tradução de textos informativos, nomes científicos desconhecidos por nós ligados à doença e vocabulário.

Ciências, Biologia e Química: Formas de higiene, como detectar focos da doença, cuidados, formas de transmissão, nome cientifico da doença, formula do vírus, como nosso corpo reage à doença e os sintomas em nosso corpo que a caracterizam.

Educação Religiosa: As adaptações de rituais de fé, tradições e crenças religiosas das diversas religiões do mundo em virtude da doença.

Sociologia: Pesquisar as mudanças nas relações sociais, quais as mudanças mais significativas no comportamento humano em função do vírus H1N1 em relação ao meio em que vivemos “sociedade”. Já que Historicamente, a sociologia é um conjunto de conceitos, de técnicas e de métodos de investigação produzidos para explicar a vida social. Desta forma entendemos que sociologia é o resultado de uma tentativa de compreensão de situações sociais radicalmente novas, criadas pela então nascente sociedade capitalista.

Sobre Feed do Autor

Sérgio Augusto de Lima Júnior Possui graduação em História (Licenciatura e Bacharel) pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2008). Atualmente é professor de História em duas escolas da rede Estadual de ensino de Minas Gerais, onde leciona a matéria para turmas do ensino Fundamental e Médio regular. Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil Império, atuando principalmente nos seguintes temas: escravidão em Minas Gerais no século XIX, cartas de alforria, liberdade e resistência.

Deixe seu comentário

Serviço 100% gratuito

Escreva artigos com facilidade e ferramentas divertidas de usar

Aumente sua credibilidade pessoal e reconhecimento

Conquiste novos clientes mostrando seus conhecimentos